Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Não é um super-herói. Mas é super. E acaba por salvar a miúda. E insere-se na categoria de filmes de super-herói. Mas não é super-herói. Aliás, é uma espécie de anti-herói!

 

 

Sem ser um apaixonado por BD e comic books, já conhecia o Deadpool há mais tempo que a maioria das pessoas que foi ao cinema. E já tinha visto vários trailers e várias reviews do filme. Já tinha visto o Ryan Reynolds a promover o filme em vários programas e a dar entrevistas na pele do próprio personagem. Portanto, o filme não me desapontou mas também já não me deixei surpreender totalmente - shame on me! 

 

Mesmo assim, gostei bastante!

 

 

O Deadpool é um tipo arrogante, instável, com mau feitio, com um sentido de humor muito negro, que gosta de matar bandidos, sem noção do perigo e sem medo da morte.

 

Pudera, descobre que tem cancro e que vai morrer, vende a alma ao diabo na pele de uma organização manhosa e ganha o poder de se curar, fica com a cara toda deformada e afasta-se da namorada com vergonha do seu aspecto. Ou seja, factores reunidos para o rapaz não ter nada a perder e comportar-se como um anormal. Mas daqueles anormais fofinhos por quem o público se apaixona. Afinal de contas, o rapaz tinha um cancro e ia morrer e perdeu tudo na vida. 

 

Mas o Deadpool é excelente! O Ryan Reynolds está fantástico neste papel. 

 

O filme mistura humor com acção, aliás, muito humor e muita acção. Há carros pelo ar, há explosões, há tiros impossíveis, há lutas corpo a corpo. Há piadas, muitas piadas. Porque afinal de contas, Deadpool é um gozão que consegue curar-se rapidamente. Se perder uma mão, ela volta a crescer, se partir um pé, ele volta ao sítio, se levar um tiro, o corpo regenera-se. Alguém o pode criticar por ter alguma mania?

 

Outro dos aspectos mais diferenciadores e cativantes do filme é o facto do Deadpool falar com o público. À maneira das séries de humor, Deadpool vai relatando algumas situações para o público não perder pitada e, claro, sempre com o seu humor característico. 

 

 

A sua história é contada de forma acelerada - como é normal nos filmes adaptados de BD - mas é puro entretenimento. 

Pergunta para quem foi ver:

Melhor a piada de só terem chamado dois X-men por falta de orçamento ou a piada do "nothing compares to you"??? 

Autoria e outros dados (tags, etc)



O responsável

foto do autor



Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D