Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Saber falar português

por Marquês, em 21.03.16

Dou-me com alguns estrangeiros a residir em Portugal e até trabalho numa equipa luso-brasileira. Pelo que, é normal ouvir diferentes sotaques e diferentes expressões. Ah, e claro, sou algarvio e metade do que aprendi durante a infância faz-me acreditar que em Aljezur se fala um dialecto muito próprio…

 

De modos que, esta salganhada leva-me a dizer “colectiva” para falar de uma conferência de imprensa, “caraca” para mostrar que estou espantado… essas coisas. E, às vezes, geram-se aqui discussões ridículas em que a malta do outro lado do oceano insiste que nós falamos mal português.

 

Como é óbvio, não posso concordar. Seja pelo sotaque (os algarvios tendem a comer metade das letras e juntar uma frase numa palavra), seja por expressões muito típicas de determinada zona, ou pela falta de literacia ou cultura de muito boa gente, existem várias razões para que alguns portugueses falem mal português. Mas aqui num escritório onde 100% das pessoas têm um grau académico, é raríssimo que alguém dê um pontapé na gramática – excepto por brincadeira.

 

E fico “picado” quando me dizem que os portugueses falam mal português. Hoje foi o tema da hora de almoço e fez-me lembrar um professor que tive na universidade. Nos seus 50 anos, herr Professor era germânico mas estava casado com uma portuguesa e já morava cá há um bom par de anos. Quando cá chegou teve aulas de português e na altura já dava aulas de alemão. Um dia, herr Professor perdeu uma hora de aula a falar da gramática portuguesa. Segundo herr Professor, quem não sabia a gramática da sua língua-mãe não poderia compreender outra gramática. Achei aquilo uma parvoíce, quis sair da aula mas lá me encostei a um canto. Para minha surpresa, praticamente um terço dos alunos tinha o mesmo conhecimento da gramática portuguesa que eu tenho de croché (eu ajudo – é zero).

 

Pimbas, 1-0 para o alemão e mais um a pensar que os portugueses falam mal português…

Autoria e outros dados (tags, etc)


2 comentários

Imagem de perfil

De Fatia Mor a 21.03.2016 às 17:52

Olha, eu já não pediria um conhecimento consciente da gramática se ao menos soubessem a ortografia correcta. Mais do que cometer erros gramaticais na oralidade, custa-me que alunos do ensino superior (e estou a falar dos meus e que serão os futuros profissionais de Portugal) não saibam escrever.
Para mim sotaques, regionalismos e outras questões promovidas pela cultural específica de uma região não são erros propriamente ditos. Nem podemos acusar uma região de falar pior que outra. O regionalismo não implica incorrecção. O problema é que, muitas vezes, mete-se tudo no mesmo "saco".
Imagem de perfil

De Marquês a 21.03.2016 às 18:46

Sim, hoje em dia assistimos a erros grosseiros na escrita. Neste caso estava apenas a referir-me à oralidade, a uma conversa. A minha avó, sem estudos, fala melhor português que muitos jovens que por aí andam... E depois temos de levar com esta gente que generaliza e mete tudo no mesmo saco.

Comentar post



O responsável

foto do autor



Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D