Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Somos todos Charlie, menos os ignóbeis

por Marquês, em 08.01.15
Ontem foi um dia triste para a liberdade. E para a humanidade.

Todo e qualquer tipo de violência gratuita é uma estupidez. A violência em si é uma estupidez. Todos os actos de terrorismo são lamentáveis. Mas hoje foi algo mais. Hoje não foi apenas um ataque a um jornal ou um ataque religioso. Hoje foi um ataque à liberdade de imprensa, um ataque à liberdade de expressão, um ataque ao jornalismo, um ataque ao humor, um ataque à liberdade. Não foi apenas um ataque contra os anti-islâmicos, foi um ataque sem religião. Durante séculos a humanidade lutou para que todos os cidadãos pudessem ter direitos, esses direitos e outros, como o direito à vida.

Afirmo que não sou religioso. Sou cristão de baptismo mas não sou praticante. Não sigo ideiais teológicos nem ligo a doutrinas. Mas recuso-me a acreditar que algum Deus de alguma religião incite à violência. A fé ou religião, como preferirem, não deve ser uma justificação para tais acções. Não foi Alá ou qualquer outro deus que matou 12 seres humanos. Foram uns ignóbeis que cometeram um crime contra a humanidade.

Ignóbeis tal como certos seres vivos, presumivelmente pouco racionais, que ao saber que 12 pessoas morreram conseguem dizer que não se deve gozar e desrespeitar os outros. Ignóbeis que não entendem o que é humor. O humor, ou a comédia dentro de qualquer das suas vertentes, não é uma provocação, não é um tipo de ofensa. Humor é uma forma de expressão. O humor foi e sempre será uma arma contra a opressão. Tal como o jornalismo, tal como a própria liberdade!

Aqueles que pensam compreender estes actos estão a lutar contra si próprios. Contra o direito de expressão, contra o direito de pensar. O vosso direito a achar que os humoristas e jornalistas se puseram a jeito é o mesmo direito que lhes permite fazer uma caricatura sobre Maomé ou Alá ou Deus ou um panda! A humanidade lutou durante séculos para que todos pudessem ter direito à opinião. À minha opinião, à vossa opinião, à opinião dos oito jornalistas assassinados. Matar não é um direito. Usar o terrorismo para dizer que a nossa opinião é maior que a dos outros não é um direito.

Ontem, hoje, amanhã e depois, sou pela liberdade!

"... prefiro morrer de pé que viver de joelhos", Stéphane Charbonnier, director do jornal Charlie Hebno em 2012

PS: deixo um link com alguns dos cartoons mais bonitos do dia de ontem.
Je suis Charlie!

Autoria e outros dados (tags, etc)



O responsável

foto do autor



Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D